O luxo histórico do 4711

A colônia 4711.

Semana retrasada fui convidada para ir até a cidade de Colônia, na Alemanha. A viagem foi organizada para um grupo seleto de jornalistas brasileiros que moram aqui na Europa ou que vieram do Brasil apenas para passar dois dias imersos no mundo da mais famosa colônia do mundo: a 4711.

Confesso que fiquei contente em participar desse grupo. Um time de primeira da imprensa do meu país e eu fazendo parte dessa experiência única. Um verdadeiro luxo.

Fomos de trem e ficamos hospedados no Wassertum, um hotel onde funcionava uma antiga caixa d’água com140 anos de vida.  Decorado pela designer francesa Andrée Putman, considerada a grande dama do design mundial, o lugar é por si só uma viagem à parte. Os quartos são imensos e possuem uma sacada coletiva de onde se pode ver em ângulo de 360 graus toda a cidade.

O 4711 foi criado em 1881. “É um luxo histórico”, explica o atual perfumista da marca, Vincent Schaller, com quem passamos esses dias em Colônia. Schaller desenvolve todo o universo da 4711 que hoje tem várias outras linhas de perfumes e produtos.

Por que é luxo? Napoleão Bonaparte usava a Colônia. Banhava-se todos os dias com 5 litros dela. Dizem que, naquela época, até beber o 4711 eles bebiam, pois inicialmente ele era usado por seus poderes medicinais. Sim!

Fizemos uma vista ao museu do 4711, com acesso restrito a convidados, e até criamos nossa própria fragrância com a ajuda de Schaller. Dentre as muitas particularidades, descobri que o perfume deveria, segundo o perfumista, ser o único a se chamar água de colônia, pois é o primeiro a existir e isso deveria lhe garantir o direito de usar unicamente o nome.

Também entendi como uma fórmula que tem notas tão suaves pode fazer parte do desejo de pessoas de todas as idades. À medida que ia postando em minhas mídias os passos que dava na minha visita, meus seguidores se manifestavam. Alguns contavam que tinham o perfume em casa, outros que seus chiques avós sempre usavam e até um bem jovem, em torno dos 20 anos, confessou que era seu perfume preferido.

Fiquei sabendo tanto nesses dois dias que posso dividir aqui alguns detalhes interessantes que o perfumista da 4711 me contou durante entrevista coletiva:

– Não existe fixador. Existe perfume bom e perfume ruim. Feito com produtos de qualidade e até raros o que garante o seu sucesso e a duração dele;

– O melhor lugar para passar perfume é nos cabelos. É onde ele conserva melhor;

– O cheiro do perfume se altera de acordo com o sexo e a cor da pele;

– O 4711 é o perfume mais antigo do mercado;

– Ao passar perfume, não esfregue;

– Outro célebre usuário do 4711 foi o ex-presidente dos Estados Unidos foi John F. Kennedy.

Eu amei a vivência. Um luxo sóbrio cheio de exclusividade e história.

Ah! Fomos convidados porque o 4711 chega do Brasil em abril. Será vendido em boas perfumarias.  Para quem, durante anos, teve que atravessar o além-mar em busca de garantir seu cheiro preferido, esse é um luxo de notícia. Voilà.

Até o mês que vem com uma matéria exclusiva: uma experiência em um Spa na Suíça. Aguardem. Gros bisous.

Crédito das Fotos: Ana Clara Garmendia & Divulgação

O perfumista Vincent Schaller.

O perfumista Vincent Schaller.

Entre os usuários histórica da colônia 4711 estão Napoleão Bonaporte e John Kennedy.

Entre os usuários históricos da colônia 4711 estão Napoleão Bonaporte e John Kennedy.

Hotel Wassertum.

Hotel Wassertum.