Lançamento de novo modelo da G-SHOCK promove experiência e reforça o propósito da marca

Na última semana participei de uma ação de lançamento que promovia uma experiência em realidade virtual muito bacana. A G-Shock acaba de divulgar no mercado sua mais nova coleção (GA-900) com seis modelos e todos com 200 metros de resistência à água, iluminação diferenciada, novo conector de pulseira, pulseira texturizada e duração de bateria de sete anos. O produto atende a uma demanda muito específica e de um público que procura por itens apropriados, com estilo e funcionalidade para as mais diversas práticas de esportes e aventuras.

A nova campanha disponibiliza o conceito de relógio ultra/ mega resistência, por isso as máscaras de realidade aumentada transportavam os convidados para ambientes extremos, como um profundo tanque de água, uma obra em uma mineradora e um guindaste com grande altura para, de fato, comprovar a resistência absoluta dos relógios.

A marca G-Shock nasceu com o propósito de ser sinônimo de força e resistência sendo a principal divisão da fabricante Casio, criada em 1983 pelo engenheiro Kikuo Ibe tendo a intenção de desenvolver um relógio indestrutível, em um momento em que estes acessórios eram extremamente frágeis. O objetivo principal perpetua até os dias de hoje e foi o pontapé inicial de uma história de sucesso no segmento desmistificando a ideia de fragilidade dos relógios de pulso e estabelecer uma nova categoria de produto: o “relógio resistente. Os relógios abrangem os sete elementos: resistência magnética, à gravidade, à baixas temperaturas, à vibração, à água, ao choque e aos impactos.

Além disso, a linha G-Shock é repleta de inovações e tecnologias, incluindo componentes internos protegidos com uretano e módulos suspensos dentro da estrutura do relógio. Durante a minha visita ao stand de lançamento, pude conversar com o Rodrigo Garavelli, gerente de vendas da divisão G-Shock, para entender um pouco mais sobre as estratégias atuais, de negócios da marca e me familiarizar mais com esse público.

Confira a entrevista exclusiva:

Estamos vivendo um momento onde o público e o consumidor final tem voz. Ele questiona e demonstra suas vontades e insatisfações. Esse novo lançamento da G Shock atende a alguma demanda especial, vindo de um feedback dos consumidores de vocês?

O público de G-SHOCK é muito fiel. Trata-se de uma marca muito ativa desde 1983, a qual os fãs de todas as classes sociais têm muito carinho, então sabemos bem o que eles querem. Nós recebemos muito feedback em nossas redes sociais, então estamos sempre muito atentos ao que os nossos fãs buscam, somando-se às tendências de moda e mercado.  O GA-900 trouxe algumas dessas solicitações dos nossos consumidores, como por exemplo a bateria com maior durabilidade (7 anos) e a pulseira removível.

Como vocês descreveriam o público de vocês?

São verdadeiros fanáticos, muitas vezes até colecionadores. 74% das nossas vendas se concentram no público masculino, mais concentrado entre 18 e 44 anos, porém estamos nos esforçando muito para também conquistar o público feminino com G-SHOCK, lançando muitos modelos com um design mais voltado à moda feminina, porém com a resistência de todo G-SHOCK. O Brasil é campeão mundial de seguidores em nossas redes sociais.

A nossa atualidade é de hiperconexão. Foi pensando nisso que esse novo produto corresponde à inovação e tecnologia?

Este produto foi desenvolvido no conceito de Resistência Absoluta. Juntamos resistência com estilo, conceito principal da linha G-SHOCK e maior tecnologia em relação à durabilidade da bateria. Futuramente teremos produtos direcionados para a Hiperconexão, dentro do conceito de Resistência Absoluta, mas ao mesmo tempo com funções de Smartwatch.

No mercado de luxo muito se fala sobre a experiência. Sobre o tipo de experiência que podemos proporcionar para o consumidor no ato da compra a fim de promover uma memória afetiva com a marca. Essa é a linha de raciocínio para desenvolver a ativação com realidade virtual?

Com certeza! G-SHOCK já possui uma memória afetiva muito legal com o nosso público. Muitas pessoas têm uma história do passado envolvendo G-SHOCK para contar. Eu mesmo tenho. Realidade Virtual é algo muito atual, então conseguimos juntar passado e presente, reforçando a memória afetiva com a nossa marca. O objetivo principal dessa experiência foi proporcionar ao nosso consumidor uma oportunidade de entender o conceito G-SHOCK através de uma experiência divertida.

Percebemos que todos que participaram da nossa ativação, além de saírem do local muito felizes e impressionados, entenderam de uma maneira lúdica o conceito da marca, que é a resistência absoluta.

Quais são as expectativas da marca para os próximos anos, tendo em vista o ano atípico de 2020?

Não sentimos o efeito da pandemia com a Linha G-SHOCK, pelo contrário, crescemos muito por estarmos bem estruturados com a venda online principalmente. Pensamos em quadruplicar os nossos números nos próximos 5 anos, com muitos bons projetos já em andamento, antes mesmo da pandemia começar.