Entrevista da Semana: conheça Lucas Castellani, referência no marketing de influência

Há algum tempo o marketing de influência é um dos principais tópicos abordados em meus cursos, palestras e workshops. Isso porque o mercado descobriu uma forma direta e espontânea de contar com formadores de opinião para serem porta voz de marcas e produtos. A fórmula vem dando certo e se reinventando ao longo dos anos, tanto que o próprio mercado de luxo se abriu para essa tendência tão moderna.

Saíram as celebridades e entraram as pessoas comum. Aquelas que promovem uma maior identificação por compartilharem das mesmas dores, dos mesmos anseios, das mesmas alegrias e buscas. Muitos nomes se destacaram nesse período e um deles é o do Lucas Castellani que acumula 1 milhão de seguidores no Instagram.

Sua história alavancou olhares internacionais e ele já foi clicado ao lado de Paris Hilton e Kim Kardashiam, além de estar nos mais badalados eventos. O mineiro de 22 anos se divide entre Los Angeles e Nova Iorque e conquistou um patrimônio admirável com sua influência digital, sendo engajado principalmente em temas como responsabilidade social, universo LGBTQ+, moda e estilo.

Conheça mais o influencer com essa entrevista exclusiva para a minha coluna.

Hoje o marketing de influência é um nicho muito visado por pessoas e empresas. Como você acha que conseguiu destaque no meio de tanta gente que almeja o mesmo sucesso que você já tem?

R: Com personalidade, amor ao que faço e resiliência. Eu foquei no mercado fashion, por exemplo, e se não existisse amor por fashion eu não daria conta de suportar o estresse, o cansaço e a pressão emocional de uma única semana de moda por exemplo, sem mencionar  na quantidade de humilhação que pessoas que sentem ou que estão em uma posição superior a você o farão passar. As notícias que culminaram na recente demissão de Daniela Falcão falam muito sobre isso e, realmente, determinação, resiliência e amor foram chave para que eu continuasse até aqui.

Estar nas redes sociais é muito mais do que publicar fotos. É manejar conteúdo de qualidade e relevância. Como você desenvolve isso de forma original?

R: As pessoas vêm por interesse e ficam por personalidade, então é preciso criar um balanço entre frequência e autenticidade.  Quanto mais você posta, mais pessoas você alcança, mas isso não significa que elas vão te seguir e engajar, por isso é importante criar um conteúdo que demonstre sua verdadeira personalidade assim as pessoas que se identificam com ela vão se ver em você e ficar por lá. Elas vão engajar com seu conteúdo o que vai te ajudar a atrair mais pessoas do nicho.

Acredita que as conexões e o networking ajudam os formadores de opinião? Como estar em contato com pessoas influentes?

R: Digamos que conteúdo e personalidade são 50% do trabalho, os outros 50% ficam por conta de network e conexões. É preciso estar sempre em contato com pessoas na indústria, sempre interessado no trabalho do outro, ouvindo e discutindo ideias e também dar suporte ao trabalho do amigo para que ele dê suporte ao seu trabalho também. Eu sempre mando um DM convidando grandes designers por exemplo para um café e falando que gostaria de visitar o escritório ou showroom deles. Uma vez mandei um DM para o Karl Lagerfeld durante o festival de cinema de Cannes e logo em seguida recebi um e-mail da assistente dele me convidando para um jantar com o mesmo e outras celebridades no Hotel du Cap-Eden-Roc, ou seja, se você não tentar todas as ferramentas que existe ao seu favor tudo fica mais difícil  e também perder o medo de ouvir. Eu já mandei email pra própria Anna Wintour mostrando meu interesse ao Met Gala, afinal o não eu já tenho!

Existe alguma estratégia que você pode dividir conosco para ter um posicionamento digital melhor?

R: Fale muito sobre assuntos que você domina e ama, quanto mais você fala mais credibilidade você ganha com sua audiência que começa a confiar em você e te ter como uma fonte confiável de informação nesses assuntos, porém também sempre engaje em todos os assuntos do momento, mesmo que você não tenha tanto a dissertar sobre o que está em pauta, às vezes só de você engajar dizendo que está aprendendo sobre o assunto também já te torna parte da conversa.