Entrevista da Semana: conheça Catherine Vanazzi, ortobiomolecular que desenvolve novos conceitos sobre bem-estar

Desde 2009 Catherine Vanazzi, Terapeuta Ortobiomolecular, busca se aprofundar e construir novos conceitos sobre alimentação, saúde e bem-estar.

Ela acredita na união de diversas ciências para desenvolver uma proposta adequada à necessidade de cada pessoa, de forma exclusiva e personalizada. A ideia é olhar o indivíduo como um todo e as interferências do meio (epigenética), assim é possível reequilibrá-la através de uma nova orientação, utilizando compostos quânticos, alimentos, aromaterapia e fitoterapia como coadjuvantes no tratamento. 

Catherine trabalha com técnicas da terapia ortobiomolecular, avaliando aspectos físicos, químicos e podem interferir nas funções orgânicas. Através de um exame não invasivo, que utiliza a biorressonância, é possível identificar desordens subclínicas que muitas vezes não são encontradas em exames tradicionais. As doenças se instalam quando há um desequilíbrio orgânico e o maior objetivo deste tratamento é cuidar e prevenir, recuperando disfunções presentes de uma forma rápida e individualizada.

Confira abaixo uma entrevista exclusiva:

Atualmente, as pessoas já estão mais conscientes do que é a procura pelo bem estar e saúde, muito antes da estética e padrão social. Como a sua atuação e trabalho vem de encontro com esse novo comportamento das pessoas?

Sim, nós tivemos uma época de uma busca por um corpo perfeito, a tal da barriga negativa, baixíssimos níveis de gordura corporal e isso teve um preço alto. Um impacto negativo na saúde que foi sendo sentido e acho que as pessoa ligaram um alerta. Começaram a descobrir que o melhor caminho é o equilíbrio. Que mais do que uma bioimpedancia perfeita, o que importa de fato é a sua energia, disposição, qualidade de vida. A conexão consigo mesmo, procurar ouvir o próprio corpo, elevar a mente. Tudo isso leva as pessoas para algo mais próximo de um caminho do meio, da qualidade de vida real, de uma mente sã e aí a estética vem como consequência de um corpo trabalhando em equilíbrio.
Em relação a padrão social há algo que me preocupa um pouco e não sei se vem ao caso, mas aproveito para colocar um ponto de vista . Hoje temos uma juventude que se preocupa mais com aceitar certa “situação” do que em estar saudável. É muito importante respeitar as diferenças e o mundo só é interessante porque temos diversidade. Mas há muitas pessoas com sobrepeso, por exemplo, se escondendo por trás deste discurso como desculpa para manter a inércia na sua zona de conforto. Ninguém precisa ter um corpo sarado e, as vezes, um corpo sarado pode nem ser o mais saudável dependendo do que a pessoa passou pra chegar até aquele resultado – mas um sobrepeso importante também não é. Atendi mães que me contrataram na busca de ajudar filhos claramente perdendo a saúde em nome de um “se aceitar como é” , de colocar para os pais o tempo todo a frase que vem se tornando um mantra que é o “ não me julgue”. E não tem maturidade ainda para enxergar o quanto essa situação pode ser prejudicial a longo prazo. 
Como você aplica a aromaterapia e fitoterapia, além de compostos quânticos em seus tratamentos?
Na aromaterapia, usamos chás e óleos essenciais de forma segura. Óleos na forma inalatória e em cosméticos e recebemos benefícios como oligoterapia. Através da biorressonância vamos descobrir quais os compostos mais potentes para serem utilizados como antioxidante pelo organismo individualmente. Toda vez que temos disponível para o nosso corpo a aromaterapia, ela utiliza estes compostos para destoxificar, para neutralizar processos inflamatórios, ao invés de buscarmos reservas hormonais e nutricionais para utilizar com este fim, assim nós vamos preservando nossas reservas para serem utilizadas para suas mais importantes funções. Tem muita gente que tem, por exemplo, algum hormônio em nível baixo e não sabe que está “gastando” aquele hormônio para neutralizar processo inflamatório causado pela ingestão de alimentos não compatível com o seu organismo.

Os compostos frequenciais entram como grande ajuda no processo de desintoxicação de metais e parasitas. Grosseiramente falando, se queremos tirar, por exemplo um parasita, o composto frequencial tem a frequência invertida daquele parasita, o que vai minando seus elétrons, fazendo com que ele perca força, perca energia e, assim, por outro lado fortalecendo nosso sistema imunológico, ele consegue chegar e combater este parasita.

Em aspectos técnicos e práticos, como é esse acompanhamento ortobiomolecular?

Primeiro é necessário analisar o cliente como um todo. Histórico, estilo de vida, traumas, características pessoais, tipo sanguíneo, etc.  Depois fazemos os testes de incompatibilidade alimentar, aromaterapias potentes, frequenciais, presença de diversos metais tóxicos, parasitas, desequilíbrio energético em órgãos, entre outros. Com tudo em mãos, eu traço um plano de ação individual com sugestão alimentar, frequenciais, nutraceuticos, o que for pertinente ao trabalho.

O que se espera em relação à resultados desse tipo de atendimento e tratamento?

Os resultados são os mais diversos: emagrecimento, melhoras de sintomas de doenças já instaladas, como artrite reumatoide, prisão de ventre crônica, disbiose intestinal, refluxo, falta de energia sem explicação, dores crônicas, desequilíbrios hormonais, melhora de sintomas da ansiedade, queda de cabelo crônica, infertilidade. São inúmeros e diversos os casos.