O papel e a relação do marketing digital com o movimento outubro rosa

O mês de outubro mobiliza muito a nossa sociedade, já que em termos de saúde, todos os olhares se voltam para a discussão em torno da importância da detecção precoce de alterações no corpo feminino, para diagnosticar com mais rapidez e obter mais chances de sucesso em tratamentos do câncer de mama.

Analisando de uma perspectiva histórica, o movimento surgiu na última década do século 20, quando laços de cor rosa foram distribuídos a participantes da primeira Corrida pela Cura, que aconteceu em Nova York em 1990 criada com o objetivo de sensibilizar a população sobre a temática e desde então, cidades pelo mundo são enfeitadas com os laços rosas, e diversas ações acontecem para dar luz à relevância do ato de se prevenir, através de exames e consultas médicas regulares. No Brasil, o movimento chegou forte em 2002 por conta de uma iniciativa de um grupo de mulheres simpatizantes com a causa de prevenção ao câncer de mama que, com apoio de uma empresa de cosméticos, iluminou de rosa o Obelisco do Rio de Janeiro, e desde então, diversos espaços, instituições e prédios se iluminam para manter viva a lembrança das ações referentes ao movimento.

Mas, o que tudo isso tem a ver com marketing digital? Tudo! A possibilidade de disseminar ações, campanhas e publicidades através de mídias sociais aumentou e muito o alcance e o impacto da campanha no público feminino e, mais ainda, sensibilizou também um grande número de homens, que passaram a entender a sua importância junto às suas parceiras, na detecção de qualquer alteração que venham a sentir, ao tocarem o corpo de suas mulheres. Por conta disso, durante todo o mês de outubro, campanhas de marketing digital realizadas por empresas da área de saúde ajudam a promover a conscientização da população sobre o tema, servindo como uma grande ferramenta para trazer visibilidade.

É indiscutível o papel de empresas, marcas e influenciadores sobre as ações que sustentam o mês de outubro. Para muitas marcas, além da conscientização, criou-se também um viés mercadológico, onde produtos são vendidos e muitas vezes, parte ou a totalidade do que é arrecadado, tem destino a instituições que cuidam de mulheres com câncer, que não podem pagar o tratamento. Esse abraço à causa traz visibilidade às marcas e gera conexão emocional direta com o público. Além disso, o marketing digital gera engajamento e pode ajudar mulheres com dificuldades relacionadas ao diagnóstico e tratamento da doença a terem mais oportunidades de se informar e buscar a ajuda ideal.

 O marketing digital é uma estrada infinita, onde há espaço para todos os tipos de ações, de alcance, de línguas. Usar essa ferramenta para divulgar caminhos de ajuda e fortalecer laços é mais que engajar, é prestar um serviço à sociedade. Felizmente muitas marcas já enxergaram isso e seguem cada vez mais debruçadas no propósito de cuidar para que através de informação haja um cenário de cura e empatia, para que  cada vez menos se morra por falta de informação correta.

Adquira o seu novo Ebook - Os conceitos que vão ditar o futuro do mercado.