Azeite: o ouro líquido da Cleópatra que pode ser seu aliado da beleza

Que delícia trazer mais um assunto super interessante para a minha coluna aqui no Portal Terapia do Luxo. Eu adoro falar de azeite e promover boas e memoráveis harmonizações.

Inclusive, o azeite é um dos produtos regionais que trago para a região sul da seção “Tesouros do Brasil”, na minha plataforma de experiências, em uma proposta de valorizar nosso produto regional e conhecer as marcas que se destacam em nosso cenário nacional. Na próxima semana, à partir do dia 27 de abril, eu começo uma nova bateria de lives, em meu Instagram, com personalidades da região sul para trazer toda essa brasilidade para o nosso universo. Acompanhem.

Quem aprecia boa gastronomia, certamente gosta de azeites para intensificar o sabor e trazer mais consistência para o paladar. Assim como o vinho, o café e a cerveja, o azeite tem sua origem indeterminada, porém há vestígios milenares da Era Terciária, época remota anterior ao aparecimento do homem.

Na região da Ásia Menor, onde hoje é a Síria e Palestina, foram descobertos indícios de instalações de produção de azeite e fragmentos de vasos datados do começo da Idade do Bronze. Ao longo de toda a história da humanidade o azeite de oliva sempre esteve ligado, não somente à alimentação, como à medicina e à religião.

Era usado como iluminação nas lamparinas, também para aliviar dores e curar feridas em guerras e utilizado em várias crenças religiosas, em rituais, batismos e unções. Na própria Bíblia, o azeite é citado várias vezes no Antigo e Novo Testamento, sendo símbolo da manifestação de Deus por meio do Espírito Santo.

O azeite sempre foi aclamado pelos gregos por seus diversos benefícios e era chamado por eles como ouro líquido. Aprendi muito durante minha passagem pela Toscana, onde colhi e produzi azeite em sua melhor versão.

Produção

Sabia que a azeitona é um fruto? O azeite é o óleo extraído da azeitona, que é o fruto da oliveira. A colheita é feita, na maioria das vezes, manualmente, selecionando as azeitonas maduras. Para manter o máximo frescor e as melhores características do fruto, o ideal é iniciar o processo de produção do óleo em menos de 3h (como também acontece no mundo do vinho). Na fábrica, se iniciam os processos de lavagem, moagem, prensa fria e centrifugação.

Azeite na Beleza

Esse era um dos segredos da Cleópatra, que até hoje é referência de feminilidade e vaidade. Assim como nós, ela mantinha uma rotina diária de beleza se beneficiando de ingredientes naturais, como leite de burra, vinagre de cidra, cera de abelha, óleos essenciais e o azeite – e esse pode ser mais um aliado da beleza.  Ela embalsamava seu corpo e cabelos para mantê-los hidratados. Também há registros de que ela usufruía de uma mistura de azeite e ervas aromáticas como um creme perfumado e passava em lugares estratégicos (como pescoço e colo) para seduzir. Inclusive, esse blend foi inspiração para diversas marcas de cosméticos desenvolverem seus produtos.

Além de natural, o azeite traz diversos benefícios ao corpo.

Pele: com propriedades anti-inflamatórias, rico em antioxidantes e vitaminas A e E, é indicado como um hidratante facial para quem tem a pele seca. Uma gotinha e é o suficiente para uma pele sedosa.

Lábios rachados: algumas gotas podem resolver o problema de forma natural, como se fosse um lip balm.

Unhas: as vitaminas contidas no azeite ajudam a hidratar e fortalecer as unhas.

Cabelos: Hidratar os cabelos, principalmente após exposição ao cloro, sol, praia e mar, pode ser uma dica excelente para os dias de verão.

Corpo: untar o corpo, passar nas regiões ressecadas, baixa hidratação, como estrias, por exemplo. Diversas empresas de estética usam tratamentos a base de azeite.

Como escolher o seu azeite

A primeira característica que a pessoa deve buscar, é o frescor do azeite. O quanto antes ele tenha sido engarrafado, mais propriedades e benefícios ele terá. Prefira sempre o extravirgem que é o mais saudável e tem sabor e aroma naturais, além das diversas propriedades benéficas ao organismo. O ideal é consumir aproximadamente 30 g de azeite por dia, que é o equivalente a 2 colheres de sopa.

É importante determinar a classificação do tipo do azeite:  tipo Extra-Virgem só pode ter no máximo 0,8 de acidez. Escolha embalagens de vidro escuras, pois elas impedem a entrada de luz para evitar a precoce oxidação, não comprometendo as propriedades do alimento.

Adquira o seu novo Ebook - Os conceitos que vão ditar o futuro do mercado.