Uma galeria a céu aberto

vhils-pixel-pancho

A cidade de Lisboa é conhecida por suas belas fachadas cobertas de azulejos. Mas, cada vez mais, a arte urbana marca presença na capital portuguesa. Em um simples passeio pelo centro ou pelos bairros históricos somos surpreendidos por verdadeiras obras de arte.

No último mês de outubro Lisboa recebeu o maior mural de azulejos da autoria de André Saraiva. De origem portuguesa e muito conhecido no cenário da street art, André é o autor de um vasto número de obras que são reconhecidas e expostas em vários museus e galerias de arte contemporânea do mundo.

 A tradicional Calçada da Glória e o muito conhecido Largo da Oliveirinha se tornaram galerias de arte urbana oficiais, com sete painéis concedidos pela Câmara Municipal. Seguindo pela Rua da Madalena e subindo as Escadinhas de São Cristóvão, numa série de fachadas, um coletivo de artistas retratou o Fado Vadio, próximo dos bairros da Mouraria e Alfama.

tamara-alves-fotojose-vicente-bx

Perto do Marquês de Pombal, na Avenida Fontes Pereira de Melo, existem três pédios que foram alvo de grandes murais que nos fazem parar e observar, da autoria de Os Gêmeos, Blu e Sam3. Entre a Baixa e Belém, perto de Alcântar, na fachada de um dos prédios da LX Factory, há um retrato feito por Vhils e no lado oposto, um mural de Hom & Nosm.

E aproveitando os preparativos para o Web Summit, um dos mais importantes eventos europeus de tecnologia, empreendedorismo e inovação que acontece em novembro de 2017, a empresa Twistag lançou o aplicativo Lisbon Street Art sem qualquer tipo de objetivo lucrativo.

A ideia da ação é construir algo pela comunidade e começou por ser feito em parceria com a Galeria de Arte Urbana que numa primeira versão cedeu 85 imagens e dados para a aplicação. Hoje, já são mais de 160 locais em todo o distrito de Lisboa, com especial destaque para o concelho de Lisboa, graças à colaboração e interesse de outros sites e blogs.

A capital portuguesa, conhecida pela importância histórica, comprova que tradição e inovação são direções complementares e não excludentes.

Crédito das imagens: Reprodução.