Um mercado com amplo potencial de crescimento

O último sábado, dia 24 de março, de certa forma, já faz parte da história do segmento turístico brasileiro.  Após um período de quase dez anos, a cidade de Florianópolis voltou a receber um navio de cruzeiro com capacidade para 4,3 mil passageiros. A embarcação atracou na região da praia de Canasvieiras, um dos balneários mais conhecidos da capital catarinense.

A passagem do cruzeiro pela Ilha da Magia foi amplamente comemorada pela administração municipal que ressaltou a importância desse tipo de turismo para a região, já que de acordo com pesquisas na área, o gasto aproximado de cada turista nas cidades usadas como escala oscila em torno de R$ 500,00.

O desembarque dos turistas em Florianópolis representa mais um passo na trajetória de crescimento do mercado de cruzeiros marítimos no país. De acordo com dados divulgados no ano passado pela Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, em 2017 o setor apresentou um crescimento de 12,5% em relação ao ano anterior, comprovando o amplo potencial de desenvolvimento do segmento.

Conforme o relatório divulgado, o número de leitos ofertados superou 400 mil e um dos fatores decisivos neste crescimento foi a criação de roteiros mais curtos, resultado em mais saídas e, automaticamente, mais passageiros embarcados.

Vale ressaltar que em 2010, ano em que os cruzeiros marítimos obtiveram seu auge, foram transportados mais de 800 mil passageiros em um total de 20 navios. Embora os números atuais ainda estejam longe desse patamar de quase uma década atrás, o cenário é positivo e a tendência para esse ano é que o setor registre novo crescimento.

Aliando a oportunidade de conhecer mais de um destino na mesma viagem, luxo e conforto do padrão mais elevado e um excelente custo-benefício, os cruzeiros marítimos devem continuar fazendo a felicidade de seus passageiros em todo o Brasil e, agora também, na Ilha da Magia.

Crédito da imagem: Reprodução.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.