Top 5: as estreias da semana nos cinemas brasileiros

A história da criação de uma música de sucesso, as desventuras de um jovem migrante em mundo repleto de fronteiras, uma improvável relação que começa de forma imprevista, o dia a dia de um agitado clube noturno e o mundo particular de crianças que sofrem de transtornos cognitivos são os temas de cinco filmes imperdíveis que estriam hoje no país. Confira.

Eu só posso imaginar

O universo da música gospel norte-americana é, muitas vezes, desconhecido na maior parte do mundo. Esta produção, que mergulha neste tema, conta a história de Bart Millard, vocalista da banda MercyMe, da sua infância e do relacionamento tumultuado com o pai até  sucesso que o consagrou com a canção I can only imagine.

Lua de Júpiter

Aryan, um jovem migrante, é baleado enquanto tentava ilegalmente cruzar a fronteira. Depois do choque provocado pelo acidente, acaba descobrindo que agora tem o poder de levitar. Agora preso em um campo refugiados, ele terá que contar com a ajuda do Dr. Stern, que tem interesses muito específicos em sua habilidade sobrenatural.

A superfície da sombra

Leonardo Machado interpreta o solitário Tony, que precisa viajar até o extremo sul do país para um funeral. Contratempos inesperados, porém, o fazem perder a cerimonia. Mas, a viagem será muito mais estranha do que ele imaginava, já que conhece Blanca, uma mulher com que viverá uma relação improvável.

Paraíso Perdido

Paraíso Perdido é nome de um agitado um clube noturno. Tendo como gerente José, deliciosamente interpretado por Erasmo Carlos, a casa noturna é o palco de apresentações musicais diversas. Entretanto, muito mais do que shows acontecem dentro e fora do clube.

Em um mundo interior

O documentário faz um registro fiel e profundamente humano na vida de diversas famílias que possuem filhos com algum tipo de transtorno sensorial ou cognitivo. O filme aborda os sonhos, as esperanças, os medos e frustrações dos familiares através do dia a dia encontram formas de entender o ponto de vista daqueles que sofrem a doença.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.