Top 5: as estreias da semana nos cinemas brasileiros

A história da criação de uma música de sucesso, as desventuras de um jovem migrante em mundo repleto de fronteiras, uma improvável relação que começa de forma imprevista, o dia a dia de um agitado clube noturno e o mundo particular de crianças que sofrem de transtornos cognitivos são os temas de cinco filmes imperdíveis que estriam hoje no país. Confira.

Eu só posso imaginar

O universo da música gospel norte-americana é, muitas vezes, desconhecido na maior parte do mundo. Esta produção, que mergulha neste tema, conta a história de Bart Millard, vocalista da banda MercyMe, da sua infância e do relacionamento tumultuado com o pai até  sucesso que o consagrou com a canção I can only imagine.

Lua de Júpiter

Aryan, um jovem migrante, é baleado enquanto tentava ilegalmente cruzar a fronteira. Depois do choque provocado pelo acidente, acaba descobrindo que agora tem o poder de levitar. Agora preso em um campo refugiados, ele terá que contar com a ajuda do Dr. Stern, que tem interesses muito específicos em sua habilidade sobrenatural.

A superfície da sombra

Leonardo Machado interpreta o solitário Tony, que precisa viajar até o extremo sul do país para um funeral. Contratempos inesperados, porém, o fazem perder a cerimonia. Mas, a viagem será muito mais estranha do que ele imaginava, já que conhece Blanca, uma mulher com que viverá uma relação improvável.

Paraíso Perdido

Paraíso Perdido é nome de um agitado um clube noturno. Tendo como gerente José, deliciosamente interpretado por Erasmo Carlos, a casa noturna é o palco de apresentações musicais diversas. Entretanto, muito mais do que shows acontecem dentro e fora do clube.

Em um mundo interior

O documentário faz um registro fiel e profundamente humano na vida de diversas famílias que possuem filhos com algum tipo de transtorno sensorial ou cognitivo. O filme aborda os sonhos, as esperanças, os medos e frustrações dos familiares através do dia a dia encontram formas de entender o ponto de vista daqueles que sofrem a doença.

Leave a Reply

Your email address will not be published.


Top 5: The premieres of the week in Brazilian cinemas

The story of the creation of a successful song, the misadventures of a young migrant in a world full of borders, an improbable relationship that starts unexpectedly, the daily life of a busy nightclub and the private world of children suffering from disorders cognitive are the themes of five must-see films that were in the country today. Check out.

I can only imagine

The universe of American gospel music is often unknown in most parts of the world. This production, which delves into this theme, tells the story of Bart Millard, lead singer of the band MercyMe, his childhood and relationship tumultuous with his father until success that consecrated him with the song I can only imagine.

Jupiter’s Moon

Aryan, a young migrant, is shot while illegally attempting to cross the border. After the shock caused by the accident, he finds out that he now has the power to levitate. Now trapped in a refugee camp, he will have to rely on the help of Dr. Stern, who has very specific interests in his supernatural ability.

A superfície da sombra

Leonardo Machado plays the lonely Tony, who needs to travel to the southern tip of the country for a funeral. Unexpected setbacks, however, make him miss the ceremony. But, the trip will be much stranger than he imagined, since he knows Blanca, a woman with whom he will live an improbable relationship.

Paraíso Perdido

Paradise Lost is named after a busy night club. Having as manager José, deliciously interpreted by Erasmo Carlos, the nightclub is the stage of diverse musical presentations. However, much more than shows happen inside and outside the club.

Em um mundo interior

The documentary makes a faithful and deeply human record in the lives of several families who have children with some kind of sensory or cognitive disorder. The film addresses the dreams, hopes, fears and frustrations of family members through the day to day find ways to understand the point of view of those who suffer the disease.

Leave a Reply

Your email address will not be published.