Prazer e luxo à mesa

01

Se a gastronomia se tornou uma área do conhecimento humano realmente pop nas últimas décadas, o interesse por ela remonta aos tempos em que a busca pela satisfação no ato de comer e pelo refinamento na produção dos alimentos era um desejo que começava a ser alcançado.

Embora os restaurantes de alto padrão tornem cada vez mais evidente a aproximação entre a gastronomia e o luxo, essa relação vem de muito antes, de um tempo em que os banquetes eram usados para honrar e agradecer aos deuses. Essas celebrações contavam com a melhor comida e bebida e também eram palcos de danças e comemorações diversas. Já naquele tempo, as sociedades utilizavam-se dos seus produtos de maior requinte para celebrar e retribuir.

No livro O Luxo Eterno, os autores Gilles Lipovetsky e Elyette Roux descrevem que para aqueles povos “honrar os deuses é garantir-lhes uma vida luxuosa, preparar-lhes banquetes festivos, refeições servidas em baixelas de ouro e prata, fazer-lhes oferendas de joias preciosas e de vestimentas de aparatos”.

As inovações dos chefs de cuisine na montagem dos seus menus, a atenção especial na escolha dos ingredientes das refeições e o apuro técnico e artístico na produção dos pratos ajudaram a consolidar a ponte que uniu definitivamente às artes culinárias ao segmento premium. Não há como questionar a importância da gastronomia no contexto social. Muitos dos valores e princípios de uma nação estão presentes também nos seus pratos mais tradicionais.

O ato de se alimentar transcende a necessidade básica do ser humano, ou seja, vai muito mais além da necessidade de retirar dos alimentos energia para viver. A gastronomia propõe a utilização de ingredientes que nutrem também a alma e promovem um contato das pessoas com sensações únicas e particulares.

Um bom exemplo desses ingredientes são as trufas brancas, uma iguaria muito apreciada e que faz parte do cardápio de alguns dos restaurantes mais luxuosos do mundo. Encontradas somente em algumas regiões da Itália e da Croácia, as trufas brancas basicamente são cogumelos com um aroma muito particular e servem para realçar o sabor ou dar um toque especial a um prato. Em algumas localidades italianas, devido a sua raridade, as trufas são encontradas com a ajuda do faro de cachorros treinados. Esse ritual insólito se tornou atração turística e na época da temporada de colheita é possível ver turistas do mundo inteiro correndo atrás dessas pequenas joias da culinária.

Há algumas décadas o luxo gastronômico se manifestava na realização de uma refeição em um restaurante indicado no Guia Michelin. Com o passar dos anos, tanto os chefs quanto os apreciadores da alta gastronomia passaram a valorizar ainda mais essa importante manifestação cultural.

O deleite gastronômico atual está muito mais ligado à experiência e às sensações do que, unicamente, ao glamour de um restaurante. O refinamento e a elegância à mesa, hoje, é sentir-se bem com aquilo que se pede. Se o prato vier acompanhado com um pouco de história, uma dose de conhecimento e algumas pitadas de felicidade ainda melhor. Afinal de contas, não há nada mais luxuoso do que ser feliz.

Crédito da imagem: Reprodução.

Leave a Reply

Your email address will not be published.


Pleasure and luxury at the table

01

If gastronomy has become an area of ​​human knowledge really pop in the last decades, interest in it goes back to the times when the quest for food satisfaction and refinement in food production was a desire that was beginning to be achieved.

Although high-end restaurants make the rapprochement between gastronomy and luxury more evident, this relationship comes much earlier, from a time when banquets were used to honor and thank the gods. These celebrations had the best food and drink and were also stages of various dances and celebrations. Already at that time, societies used their most refined products to celebrate and give back.

In the book The Eternal Luxury, authors Gilles Lipovetsky and Elyette Roux describe that for those people “to honor the gods is to provide them with a luxurious life, to prepare festive banquets, meals served on gold and silver plates, precious jewels and apparels of apparatuses “.

The chefs de cuisine innovations in the assembly of its menus, special attention in the choice of the ingredients of the meals and the technical and artistic difficulty in the production of the dishes helped to consolidate the bridge that definitively united the culinary arts to the premium segment. There is no way to question the importance of gastronomy in the social context. Many of the values ​​and principles of a nation are also present in its more traditional dishes.

The act of feeding transcends the basic need of the human being, that is, it goes far beyond the need to withdraw food from energy to live. The gastronomy proposes the use of ingredients that also nourish the soul and promote a contact of people with unique and particular sensations.

A good example of these ingredients are the white truffles, a much-loved delicacy that is part of the menu of some of the most luxurious restaurants in the world. Found only in some regions of Italy and Croatia, the white truffles are basically mushrooms with a very particular aroma and serve to enhance the taste or give a special touch to a dish. In some Italian locations, due to their rarity, the truffles are found with the help of the trained dogs’ lighthouse. This unusual ritual has become a tourist attraction and at the time of the harvest season it is possible to see tourists from all over the world chasing after these little cooking jewels.

A few decades ago the gastronomic luxury manifested itself in the realization of a meal in a restaurant indicated in the Michelin Guide. Over the years, both chefs and food lovers have come to appreciate this important cultural event even more.

The current gastronomic delight is much more connected to experience and sensations than to the glamor of a restaurant alone. The refinement and elegance at the table today is to feel good about what you ask for. If the dish comes with a little history, a dose of knowledge and a few bugs of happiness even better. After all, there is nothing more luxurious than being happy.

Leave a Reply

Your email address will not be published.