Por que redobrar os cuidados com as mãos durante o inverno? Paula Roschel explica

O inverno 2020 começou atípico. Com a pandemia do novo coronavírus, grande preocupação mundial, tivemos que redobrar os cuidados de higiene. Álcool gel e lavagem das mãos com mais afinco são protocolos de ordem. Ficando em casa, lavamos mais louça e higienizamos mais os alimentos também, muitas vezes utilizando água sanitária nesse processo. Todos esses passos, entretanto, pedem cuidado redobrado com as mãos e unhas, pois podem ocasionar ressecamento e coceira.

Inverno: Cuidado redobrado com as mãos. Entenda os motivos:

Sensibilidade

Já estamos há mais de noventa dias em isolamento social. Com isso, muito álcool gel e muitas lavagens de mão foram feitas. O resultado para alguns? Pele das mãos mais ressecada e coçando! Isso é sinal de maior sensibilidade de uma pele que já é bastante frágil.

O ideal então é, antes de dormir, passar um bom creme para a área. Para as pessoas mais sensíveis, opte por hidratantes sem corantes e sem perfume. A dica é boa também para quem tem rinite e que, mesmo dormindo, costuma coçar o nariz e depositar assim substâncias possivelmente irritantes no local.

Outra boa saída é escolher álcool gel ou outros compostos desinfetantes de origem cosmética, com fórmulas que podem minimizar a ação das substâncias.

Segundo o médico Dr. Franklin Veríssimo, que dirige clínica em Fortaleza (CE), o uso de sabonetes, detergentes ou substâncias alcoólicas (como o álcool gel a 70%) em excesso destrói camadas de proteção da pele. “Isso que facilita a perda de água e a desidratação e, por fim, o ressecamento excessivo que pode levar a dermatites e ferimentos. Com o surto do novo coronavírus, as pessoas estão usando com muita frequência álcool gel, além da lavagem constante com sabonetes. Nós, médicos, recomendamos que após a higienização a pessoa use algum hidratante específico para as áreas das mãos. Esse hábito evitará possíveis ferimentos e outras lesões de pele”, diz o especialista.

Mas existe uma regra para o uso do hidratante:

“As pessoas q ficam com as mãos muito ressecadas ou tem dermatites, o hidratante para mãos pode ser usado depois da secagem completa do álcool a 70%”, alerta a dermatologista Dra. Fabiana Seidl, do Rio de Janeiro.

Unhas

Muitas pessoas relatam que, com o isolamento social e o aumento de lavagens de louça – já que nos alimentamos mais em casa -, as unhas começam a ficar mais frágeis.

É normal sentir que ela descama ou lasca com maior facilidade. As cutículas também podem estar mais ressecadas, levantando e ficando com “cantinhos” duros e pontiagudos.

Como o ideal é evitar tirar a cutícula, na pandemia e após o período, já que esse tipo de pele é uma proteção do corpo contra agentes externos, busque óleos e séruns para o fortalecimento e hidratação.

Ah, e nada de arrancar as peles com os dentes! Isso pode ocasionar ferimentos que são porta de entrada para infecções.

Retomada

Se você pega sol nas mãos – em casa ou já retomando a vida (isso ocorre, principalmente, quando se está dirigindo) – , não se esqueça de passar filtro solar na área. O mais indicado é passar o filtro facial, que, normalmente, já tem outras funções dermocosméticas. Em uma tacada só você melhora o aspecto da área e ainda evita a formação de pintas e sardas.

GALERIA DE PRODUTOS PARA DEIXAR MÃOS E UNHAS CHEIAS DE SAÚDE: