Os impactos da revolução digital no segmento de moda de luxo

Conforme um texto de autoria da professora Ana Canavarro “as marcas de luxo estão atentas ao potencial do crescimento das vendas online, que se apresenta como promissor (estima-se que as vendas de luxo online tripliquem até 2025, alcançando cerca de 91 biliões de dólares), nomeadamente com o crescimento em mercados como os Estados Unidos, Alemanha e Reino Unido, os quais figuram acima da média do mercado global”.

O estudo State of Luxury 2018: The Insider View, que foi utilizado como referência pela professora para a redação do seu artigo, ainda revela que praticamente 70% das grifes de alto padrão pesquisadas já comercializam de forma online seus produtos, o que significa um crescimento considerável já que em 2016 esse número era pouco maior do que 60%.

Interessadas em ampliar o diálogo com os públicos mais novos, especialmente a geração millennial, as marcas de luxo investem cada vez mais em marketing digital e, por consequência, nas ferramentas de e-commerce. Otimização de conteúdo, melhorias nas plataformas de compras e investimentos nos principais motores de busca, por exemplo, são algumas das estratégias que as marcas encontraram para se adaptar de forma ainda melhor ao novo mundo digital.

Dados indicam que, atualmente, cerca de 80% das vendas relacionadas ao mercado de luxo sofrem impactos diretos ou indiretos do universo online. Se o cenário é positivo, entretanto, há obstáculos a serem superados. Conforme enfatiza Ana Canavarro “o desafio para o futuro continua a ser grande, pois estas marcas devem identificar novas maneiras de envolverem os seus consumidores online, criando uma experiência omnicanal integrada”.