Os desafios das marcas de luxo frente aos novos desejos dos consumidores

O último final de semana deste mês de agosto, certamente, vai entrar para a história dos segmentos de moda e de luxo. Reunidos na cidade francesa de Biarritz, algumas das mais conhecidas e importantes grifes fashion do planeta oficializaram um termo de acordo cujo objetivo central é a preservação do meio ambiente em curto, médio e longo prazo.

Se, não existem dúvidas que a principal meta do documento é realmente encontrar formas de tornar a cadeia produtiva da moda mais sustentável, nas entrelinhas é possível perceber também o esforço das marcas em atender os novos desejos dos consumidores que, de forma contínua e sistemática, estão abandonando o consumo excessivo pela vivência de experiências que, de fato, agreguem valor em suas vidas.

Para citar apenas um exemplo dessa verdadeira quebra dos paradigmas de consumo que vem ocorrendo nos últimos tempos, de acordo com o relatório GlobalData for Thredup, se mantiver as projeções atuais, o mercado de produtos seminovos ligado ao segmento de moda até 2028 deve ser maior do que o de produtos novos.

Nessa previsão, ao mesmo tempo em que está incluída a preocupação dos públicos mais novos, especialmente a geração millennial, com questões como o compartilhamento e a redução da produção de lixo, também acende uma luz de alerta para as grandes marcas que precisarão encontrar formas adequadas e competentes para lidar com essa situação.

Embora o grupo LVMH não tenha se comprometido com o acordo firmado em Biarritz, a organização apontou que seguirá um caminho em que a sustentabilidade terá papel de protagonista quando nomeou a estilista Stella Mccartney como assessora especial em assuntos voltados às relações entre moda e meio ambiente.

Prever o futuro faz muito mais sentido nas histórias de ficção do que nas análises econômicas reais, entretanto, não é exagero afirmar que o sucesso dos mais diversos segmentos, como os mercados de moda e de luxo, terá relação direta com a assertividade com que as marcas tratarão os novos desejos dos consumidores daqui para frente.

Crédito da imagem: Reprodução.