O valor de uma marca de luxo

Na última semana, os principais veículos de imprensa ligados aos segmentos de moda e de luxo abordaram um acontecimento realmente histórico. Após um longo processo judicial, a marca Salvatore Ferragamo conquistou uma importante vitória contra a falsificação de seus produtos. A justiça norte-americana condenou os réus, cerca de 60 titulares e 150 nomes de domínio, ao pagamento de uma multa de 60 milhões de dólares.

Conforme um comunicado oficial, a marca afirmou estar muito satisfeita “com a decisão do tribunal de Nova Iorque, que, com esta sentença, estabeleceu, entre outras coisas, uma indemnização exemplar, entre as mais elevadas concedidas para este tipo de violação”.

De acordo com a advogada Gisele Ghanem Cardoso, especialista em direito da moda e sócia da Ghanem Leal Advocacia, “atualmente, processos como estes são muito raros de serem impetrados e mais raros de terem um parecer positivo ao final. Cada vez que acontece vira notícia, pois claramente há uma dificuldade muito grande em conseguir pontuar no processo primeiramente quem está infringindo seu direito; em um segundo momento conseguir localizá-lo, pincipalmente quando se trata de crimes ou ilícitos cometidos via internet, e, por fim, fazer magistrados e envolvidos no processo compreender que estão sim fazendo algo errado, não somente imoral”.

A sentença final e o alto valor da indenização, muito mais do que fazer justiça e contribuir ativamente para o fim de uma prática ilegal, confirma a importância do valor de uma marca com quase um século de atividade e que se tornou um ícone do segmento de luxo.

Crédito da imagem: Reprodução Salvatore Ferragamo.