O reconhecimento de um ícone

No mês de janeiro deste ano, o governo chinês divulgou que em 2017 o crescimento econômico do país foi da ordem de 6,9%. O resultado, muita acima da média mundial, é um dado concreto que destaca a importância chinesa dentro do cenário econômico mundial e seu impacto nos mais diversos setores de mercado.

No segmento de luxo, essa importância também é contundente. Basta analisar as informações de faturamento de algumas das mais importantes marcas de alto padrão do mundo para identificar o mercado chinês como um dos grandes responsáveis pelo bom desempenho.

O país que detém o título de segunda maior econômica do mundo, se por um lado é uma referência no quesito consumo, é também destaque no que se refere às violações de direitos autorais e de propriedade intelectual.

Por isso, na última semana, a notícia de que a Dior recebeu o veredito positivo referente a um processo contra o Conselho de Controle e Atribuição de Marca Registrada da China, após uma batalha judicial que levou vários anos, foi muito bem recebida por todas as empresas e marcas de atuam no mercado premium.

Através da decisão, o tribunal chinês reconheceu o direito da Dior de registrar como propriedade intelectual da marca o conhecido frasco no formato de lágrima de seu icônico perfume J’adore.

O reconhecimento deste verdadeiro ícone do mercado de alto padrão pelos institutos de proteção de marca da China, sem dúvidas, deve marcar um avanço nas relações comerciais e aumentar a credibilidade do país quanto ao seu papel de combater as ações de infratores nesta área.

A decisão chinesa é um passo importante para que as marcas de luxo aprofundem ainda mais os investimentos no país. Aliando um grande potencial de consumo a leis mais severas no que tange a proteção dos direitos de propriedade, o mercado oriental deve se consolidar como um dos principais focos de atenção das empresas do setor.

Crédito da imagem: Reprodução.

Leave a Reply

Your email address will not be published.


Recognizing an icon

In January of this year, the Chinese government announced that in 2017 the economic growth of the country was of the order of 6.9%. The result, well above the world average, is a concrete fact that highlights the Chinese importance within the world economic scenario and its impact in the most diverse market sectors.

In the luxury segment, this importance is also compelling. Just review the billing information from some of the most important high-end brands in the world to identify the Chinese market as one of the big makers of good performance.

The country that holds the title of second largest economic in the world, while on the one hand is a reference in the consumption issue, is also prominent in relation to copyright and intellectual property violations.

Therefore, in the last week, the news that Dior received the positive verdict concerning a lawsuit against the China Trademark Control and Assignment Council, after a judicial battle that took several years, was well received by all companies and brands operate in the premium market.

Through the ruling, the Chinese court recognized the right of Dior to register as trademark intellectual property the well-known teardrop-shaped flask of its iconic J’adore perfume.

Recognition of this true high-end market icon by China’s brand protection institutes should undoubtedly mark a step forward in trade relations and increase the credibility of the country’s role in combating the actions of violators in this area.

The Chinese decision is an important step for luxury brands to further deepen investment in the country. Combining great consumer potential with stricter laws regarding the protection of property rights, the Eastern market must consolidate itself as one of the main focuses of attention of the companies of the sector.

Leave a Reply

Your email address will not be published.