O protagonismo de Bernard Arnault no mercado de luxo contemporâneo

Na última semana o mercado de luxo voltou a ser destaque na imprensa nacional e internacional. E o motivo, de fato, merecia toda a atenção: Bernard Arnault, CEO do grupo LVMH, que detém o controle de marcas ícones do segmento como Louis Vuitton e Christian Dior, atingiu a segunda posição no ranking das maiores fortunas do mundo superando Bill Gates, o principal nome por trás da Microsoft, e ficando atrás somente de Jeff Bezos, o criador da Amazon.

E não há dúvida que o título alcançado por Bernard Arnault se deve de forma objetiva aos excelentes resultados apresentados pela organização que lidera nos últimos anos. De acordo com as informações divulgadas, o grupo LVMH elevou seu patrimônio para um total superior a 107 bilhões de dólares e isso promoveu a adição de 39 bilhões de dólares à fortuna do seu principal comandante. Vale lembrar que esse valor surpreendente foi registrado somente neste ano de 2019.

Para além dos valores de seu patrimônio, Bernard Arnault é, atualmente, um dos mais importantes e prestigiados executivos do segmento de alto padrão. Com 70 anos de vida e atuando no mercado desde 1984, o CEO do grupo LVMH ganhou bastante projeção recente ao anunciar que ele e sua família fariam uma doação de 650 milhões de dólares para a reconstrução da Catedral de Notre Dame, atingida por um incêndio.

A entrada no grupo LVMH da cantora Rihanna, através de sua marca Fenty, e mais recentemente da estilista Stella McCartney, com sua grife homônima, comprovam toda a expertise do executivo no setor. Um detalhe que torna ainda mais evidente a destreza de Arnault à frente do grupo é que a filha de Paul McCartney, que se tornou um símbolo da sustentabilidade no segmento de moda, irá atua também como sua assessora especial, ampliando a eficácia de suas decisões ligadas a questão ambiental.

O sucesso de Bernard Arnault tem um caráter simbólico dentro do mercado de luxo. Em um segmento no qual as marcas e grifes possuem, muitas vezes, séculos de tradição e atuam em centenas de países, os profissionais eventualmente tende a ficar em um segundo plano. Não é o caso do CEO do grupo LVMH que, novamente, comprova sua atuação como um dos mais importantes protagonistas do segmento.

Crédito da imagem: Reprodução.