O mercado de luxo em clima de comemoração

Os relatórios divulgados no início deste ano pelos principais institutos de pesquisas econômicas apontavam o crescimento do mercado de luxo em nível global. E muito além de destacar os dados positivos do último ano, os estudos também destacavam que a tendência de crescimento se manteria.

Agora, com a divulgação dos resultados dos conglomerados LVMH e Kering, que detém algumas das principais marcas de alto padrão do mundo, a constatação é que realmente o mercado de luxo pode celebrar, já que os motivos para comemorar são muitos.

Proprietário da marca Moët & Chandon (foto no alto) o grupo LVMH cresceu 11% no último trimestre de 2018. O grupo Kering, proprietário da Yves Saint Laurent (acima) registrou um crescimento superior a 26% no mesmo período.

Dono de marcas como a Gucci e a Yves Saint Laurent, de acordo com os dados divulgados de faturamento o grupo Kering apresentou no segundo trimestre de 2018 um crescimento em sua receita na ordem de 26,4% totalizando aproximadamente 3,3 bilhões de euros, o equivalente a mais de 14 bilhões de reais. E como não poderia deixar de ser, a Gucci foi o grande destaque sendo responsável por quase dois bilhões do valor total.

Com o seu portfólio formado por ícones do mercado de luxo como Givenchy, Dior, Bvlgari e Veuve Clicquot, o conglomerado LVMH cresceu 11% no mesmo período. E tendo a gerência sob a marca mais valiosa do setor de luxo, a Louis Vuitton, o grupo registrou um total de faturamento superior a 21,5 bilhões de euros, ou seja, quase 95 bilhões de reais.

Crédito das imagens: Reprodução.