Moda criativa e pragmática

O diretor criativo da Bottega Veneta, Tomas Maier, encontrou uma solução elegante para lidar com as complexidades da moderna Pre-Collection da marca: desenvolveu três grupos distintos. “Eles funcionam como minicoleções. Uma projetada para novembro, uma para dezembro e a outra para janeiro. Cada uma tem como foco o que meus clientes podem precisar ou querer no momento em que as peças chegam às lojas”, ressaltou Maier.

A coleção feminina dá continuidade à coleção Outono/Inverno 2017, com a mesma paleta de cores intensa, como laranja, amarelo-calêndula e rosa. Maier brinca com proporção e volumes nas peças invernais.

O segundo grupo dá uma reviravolta dramática, trocando os tons do outono por tons pastéis mais frios. As cores sutis são um excelente complemento para materiais luxuosos e palpáveis: cashmere denso, revestimentos de ursos de pelúcia Steiff Schulte e até mesmo um toque de renda.

O último grupo oferece uma prévia do que está por vir nas passarelas da primavera em um ecletismo energético. Os looks exigem uma inspeção minuciosa. Cada estampa é criada a partir de pequenos pontos, criando de longe a ilusão de um houndstooth ou outros efeitos geométricos.

As bolsas femininas celebram o individualismo, que é essencial para a Bottega Veneta. Maier apresenta um conceito inteligente e altamente funcional: o “acessório para o acessório.” Estes são pequenos artigos de couro criados para deslizar sobre cintos finos ou sobre a alça de uma bolsa para personalizar os acessórios, criando composições da forma que a cliente gostar.

A coleção Cruise 19 exerce uma função dupla, oferecendo às clientes da Bottega Veneta as peças que elas precisam no momento certo, ao mesmo tempo em que funde pragmatismo com pura criatividade, introduzindo roupas e bolsas dignas de um sonho. “Ninguém precisa de outra coisa básica. Eu quero dar aos meus clientes algo que ele ou ela nunca viu”, define Maier.

Confira, abaixo, alguns looks da nova coleção.

Crédito das imagens: Divulgação.