A importância de “vender” experiências

destacada

Com 18 anos de Brasil, o empresário francês Eric Gozlan divide seu tempo entre suas lojas em Curitiba e suas viagens internacionais em busca de novidades para sua marca: uma boutique de óculos. Conheça este, que por pouco não se formou em matemática, mas que hoje é referência no Brasil para consumidores, médicos oftalmologistas e indústria óptica em qualidade de produtos, serviços e soluções ópticas diferenciadas.

Ele foi o pioneiro no Brasil, há 15 anos, a comercializar os óculos em uma boutique exclusiva, que leva seu nome, na cidade de Curitiba, sempre em busca de multimarcas de design, feitas à mão, produção pequena, produtos especializados e clássicos, conceitos de luxo.

Quase a totalidade dos óculos comercializados na boutique é importada. O próprio empresário Eric Gozlan os seleciona em feiras especializadas, que visita duas vezes por ano, na França, em Milão e Nova York. Sempre opta por aquelas marcas que já conhece e representa há anos, como Anne et Valentin, Alain Mikli, Persol, Thierry Lasry e Garrett Leight, mas também está atento a novidades, com novos designers.

O primeiro olhar

A paixão por óculos começou cedo. Seu sonho era ser professor de matemática e começou a faculdade, mas chegou à conclusão que não era nada parecido com ele, o que o fez conhecer um amigo de seu pai, um óptico famoso na França, que desenvolvia lentes de contato e que ofereceu um pequeno estágio de duas semanas em uma de suas lojas.

A paixão foi imediata. Além dos conhecimentos técnicos que ele adquiria com as lentes, ele ainda tinha o contato com o público na venda dos óculos. E este dinamismo e lado comercial estavam mais alinhados à sua personalidade.

A vinda para o Brasil, para ser pioneiro

Em 1998 veio para o Brasil e trabalhou em uma indústria que fazia as lentes Varilux, o que o fez ter contato com várias cidades brasileiras e o despertou para o lado empreendedor.

Três anos depois abriu sua primeira loja em Curitiba, escolhida depois de uma análise de mercado e comparação entre Rio de Janeiro e São Paulo. Aqui, ele encontrou qualidade de vida, exigência alta dos moradores e um eixo econômico muito voltado ao que na época ele buscava. A cidade o inspirava ao design e conceitos que formam hoje sua marca.

Em sua opinião, a óptica brasileira ainda é atrasada, mas quando ele chegou era muito mais, e por isso, quis trabalhar nesta área.

“As pessoas pensavam que ópticas eram consultórios médicos, que os profissionais atendiam de branco. As armações eram básicas, e isso não existia mais na França. Lá, os óculos já estavam ligados à moda, design e conceitos exclusivos.”

Exclusividade só de Curitiba

Ele não pensa em abrir suas lojas Eric Gozlan Lunettes fora de Curitiba, mas para estar mais nacionalmente, seu lado empreendedor o fez abrir recentemente duas lojas com outro nome, que somente comercializa óculos Ray Ban, em um conceito fast fashion.

O próprio Eric afirma que o motivo de não ir para outras cidades com sua marca conceito é que aqui seu atendimento nas duas lojas é muito especializado e individualizado. Ele mesmo, quando está nas lojas, atende seus clientes, sabe do comportamento de cada um, gostos, estilos, conhece até mesmo a família de alguns.

“A aproximação e a amizade é inevitável no meu segmento e isso se faz por e-mail, telefone e outros canais que não somente o presencial. Mas eu gosto de estar perto deles, preciso sentir a felicidade de cada um, porque isso me faz feliz, e é o que os clientes buscam em mim e meus atendentes”, comenta Eric.

Sem acreditar em fidelidade de marca

O atendimento é o principal foco da equipe de Eric. Ele não acredita mais em fidelidade de marca. Para ele, com o acesso facilitado das viagens, a curiosidade dos clientes e a abertura que se tem para conhecer o novo faz com que o tempo todo tenhamos contato com outras marcas e que não necessariamente iremos consumir somente uma delas. O que o incentiva a investir em um atendimento pessoal, individualizado e exclusivo. Os clientes não compram só o produto, mas a experiência de estar na loja, em contato com o empreendedor, com a marca.

“A única maneira de me diferenciar hoje é pelo atendimento, que as pessoas tenham prazer de estar em minha loja, pela experiência. É isso que investimos em transmitir, porque fora daqui, elas nunca encontrarão esta experiência em outro lugar. Partimos de uma premissa na loja de que não vendemos apenas óculos, vendemos uma experiência com os óculos” define.

 O olhar limpo e luxuoso

Se você usa óculos, você comprará óculos a vida toda e ainda trará a família para também comprar. Esta frase orienta os planos futuros da marca pessoal em destaque neste texto. Eric Gozlan e sua equipe focam em experiência de compra, como falamos, e eles sabem que podem perder o cliente e suas compras ao longo da vida, além das compras de suas famílias e outras indicações. Por isso, tudo depende do atendimento e experiência passada.

Foi o que também focou seu conceito de luxo, ao falar que para ele, luxo é ter liberdade de fazer o que se quer. Ter tempo livre, amar o que se faz.

02