Entrevista Especial Lino Villaventura

Fahrer_13_08_2014

Lino Villaventura e Sérgio e Jack Fahrer receberam, nesta quarta-feira, dia 13, a imprensa, para apresentar sua linha home que nasceu da parceria entre as duas grifes. O encontro foi no Espaço Fahrer, em São Paulo e a TL conseguiu uma entrevista exclusiva com Lino Villaventura para vocês. Confira com Manu Berger: 

MB: Como surgiu a ideia de unir moda e mobiliário? De quem partiu essa ideia? Foi sua (Lino) ou do Sérgio?

 
LV: Na verdade, foi uma ideia que já existe, isso já está acontecendo há muito tempo, eu já havia feito algumas intervenções em alguns trabalhos, de fazer alguma exposição, de revestir alguma cadeira famosa. Quando nós começamos a nos falar sobre isso, o Sérgio sempre teve essa vontade de fazer uma parceria comigo e fomos adiando, adiando até que marcamos para conversar sobre isso. 
 
A primeira ideia do Sérgio era sobre tecidos, essa maneira de interferir no trabalho deles com tecidos, que são muito complicados, muito dificil fazer uma produção em cima disso, então eu falei para ele Sérgio, se fizermos isso, será uma série muito limitada, muito exclusiva, já é algo que eu faço em roupa, tenho a Vilaventura só para isso, fica complicado produzir esse tecido.
 
MB: Como escolher cada tecido?
 
LV: Não, isso nem é o problema, o problema é fazer o tecido, escolher qualquer um daria certo. Ele ainda não tirou essa ideia da cabeça (Sérgio), ele quer fazer nem que seja uma cadeira (risos).
 
Mas quando ele me mostrou o trabalho deles com acrilico e que poderia imprimir qualquer coisa, eu falei vamos fazer o seguinte: vamos vestir esses móveis com imagens dos tecidos, com imagens do meu trabalho, vamos imprimir nesse acrílico essas imagens. Fotografamos, chamamos um fotógrafo muito bom, você pode ver que a resolução é incrivel para poder ampliar e ter a resolução necessária.
 
MB: E é uma perfeição, podemos notar por essa cadeira ali.
 
LV: É perfeito, essa aqui inclusive brilha mais que o próprio tecido. E pensamos, vamos fazer mesa, luminária e essas cadeiras. Eu quero fazer com eles um biombo, porque eu acho que hoje em dia tem casas que você quebra tudo e precisa de uma divisória, e você não quer colocar porta de vidro, e você põe um biombo que você pode tirar e colocar, só tem mesmo aqueles biombos antigos, mas que são caríssimos, eu acho que tem que ter uma chaise longue que acho bacana também. Eu quero fazer com que essas imagens virem caixas que vão para a parede, elas ficaram muito lindas. Então são planos, eu acho que essa parceria terá uma continuidade boa, eles são bem bacanas, nos demos super bem, eles são muito respeitosos comigo, eu sou uma pessoa que gosta das coisas da minha maneira e isso é um grande exercício pra mim, porque na verdade essa convivência minha com o Sérgio e o Jacque me mostrou deles uma generosidade muito grande, tanto é que ele não arrumou nada enquanto eu não estivesse aqui. Ele queria que eu visse, que eu arrumasse, que eu fizesse e eu falei limpa tudo e disse é pra ser vazio pois as coisas são vistas mais facilmente. Ele também me convenceu a colocar roupa, que eu nunca coloco roupa assim sem proteção, pois são perecíveis, é tecido, é do meu acervo, elas já tem um tempo, então tem que ter toda uma recuperação.
 
MB: Mas convenceu então (risos)
 
LV: É, ele me pede as coisas e eu não posso dizer não, ele (Sérgio) é uma pessoa muito bacana.
 
MB: E qual sua peça favorita?
 
LV: Não tem, mas eu acho que a mesa foi a que mais me deixou surpreso, eu tinha visto algumas cadeiras, mas a mesa eu não tinha visto e eu brinquei ontem com ela, eu mudei a estampa, tem várias formas de você fazer. 
 
E elas são assinadas, são peças todas catalogadas, todas numeradas, então isso é muito legal. E eu acho que serão bem acessíveis pelo valor. Nós queremos isso, uma peça bacana, bem feita, bem acabada e que seja acessível. 
 
MB: Eu fiquei apaixonada, eu quero a cadeira vermelha, linda! E para finalizar o que é luxo para você?
 
LV: Luxo pra mim é isso, identidade, é produtos e pessoas com personalidade, eu acho que primeiro de tudo o grande luxo não está no valor, mas sim pelo que o produto passa pra você, o que expressa pra você, o que está transmitindo para você, e a gente absorver isso que é um grande luxo na vida da gente. 
 
MB: A TL agradece a entrevista, obrigado.
 
LV: Obrigado você também, adorei a balinha (risos).