Emagreci! E Agora? O Que eu faço para não engordar mais?

emagrecer

O conhecido efeito sanfona é o grande medo de quem conseguiu perder algum peso ou chegar ao peso tão desejável. A boa noticia é que a solução é simples, porém não é fácil. Primeiramente nada de dietas milagrosas, dieta da papinha de neném, dieta do limão, dieta da lua, dieta do alfabeto… Estão todas descartadas, não é desta forma que conseguimos manter o peso ou continuar emagrecendo.

De acordo com o nutricionista Thiago Sacchetto, o melhor é fugir de qualquer dieta que restrinja muito a alimentação visando perder peso, pois a chance de, ao longo do prazo, voltar a brigar com a balança é grande. E isto não está ligado apenas à falta de força de vontade para manter a dieta.

Segundo o especialista, uma das explicações para o efeito sanfona é a perda de massa muscular, que é uma das grandes responsáveis pela aceleração do metabolismo do corpo – e pela queima de calorias. “Quem busca dietas milagrosas, não faz exercício físico e tem um consumo de alimentos muito aquém do que precisa, pode perder peso rápido, mas não vai perder só gordura, mas também massa muscular”, afirma.
Já foi explicado em outras matérias aqui no terapia do luxo a importância do aumenta da taxa metabólica basal, através de uma melhor relação de massa magra e gorda, quanto mais massa magra possuímos, mais gastamos energia em repouso, o que ajuda a manter o peso e não ter uma dieta tão restritiva.
Quando perdemos massa magra o corpo passa a gastar menos energia do que o normal e, quando a pessoa volta a comer normalmente, o corpo gastará menos calorias do que antes, provocando o aumento do peso.
Se uma pessoa passa muito tempo comendo menos calorias do que precisa, o corpo não emagrecerá no mesmo ritmo o tempo todo. “O organismo tende a poupar energia, pois percebe que está emagrecendo muito, e, assim, o metabolismo diminui”, diz o nutricionista. Resultado: ao escorregar no regime, a engorda é quase 100% garantida.

Mas calma leitores, nem tudo está perdido. Para evitar que esse processo ocorra, você deve manter a calma e pensar em resultados a médio e longo prazo. É melhor perder seis quilos em três meses do que em um. O primeiro passo para conquistar um corpo saudável é procurar um profissional, uma equipe multidisciplinar é o mais indicado. Nutricionista, médico do esporte, personal trainer… Visando indicar melhores hábitos para sua rotina e seu nível de treinamento.
“Dependendo do peso, o problema pode não estar só no ato comer, mas também nos motivos pelos quais está comendo. Aí, pode ser necessária uma avaliação psicológica ou psiquiátrica”, afirma.

A partir dessa análise tudo deve mudar, desde a compra no supermercado até o preparo das refeições, para que o gasto calórico diário seja maior do que o consumo sem que perca-se saúde. Não há formula de bolo ou receita milagrosas, é preciso suar a camisa e se reeducar, formando mais que uma tendência, um hábito de vida.

Fonte: Exame