Dica da semana: a acupuntura como opção para enfrentar a ansiedade e a insônia

Medo de se infectar pelo coronavírus, receio de não ter dinheiro para pagar as contas, dificuldade de trabalhar em casa com as crianças por perto e ainda ter que ajudá-las com as aulas on-line, angústia por não saber quando tudo isso vai acabar. Fatores como esses estão gerando um turbilhão de sentimentos que normalmente acabam desencadeando ansiedade e, por tabela, angústia e insônia. Existem artifícios muito eficazes para lidar com essas questões e a acupuntura é uma delas.

“Durante o procedimento, estimulamos terminações do sistema nervoso periférico, o que incita a liberação de serotonina, um neurotransmissor ligado ao bem-estar”, conta Marcus Yu Bin Pai, médico especializado em acupuntura que é diretor do Colégio Médico de Acupuntura de São Paulo.

Além disso, a substância tem influência no sono, no relaxamento e concentração, tudo isso sem a necessidade de remédios. Alguns já relatam alívio dos sintomas nas primeiras sessões, mas os especialistas costumam indicar a princípio de 1 a 2 sessões semanais durante de 2 a 4 semanas para que os resultados sejam mais eficazes.

“Durante as consultas conversamos com os pacientes e avaliamos como o processo está evoluindo e, muitas vezes, descobrimos que os sintomas também são provenientes de quadros diferentes daqueles que o indivíduo trouxe no início, o que pode levar a uma variação nesse período”, diz Pai. Por isso, é essencial que o especialista seja formado em medicina, para que conheça a fundo o funcionamento do corpo humano e possa avaliar os efeitos do processo terapêutico sobre ele.