Como aliar os conceitos de inovação e tradição no mercado de luxo

Fundada no ano de 1856 na cidade de Basingstoke, na Inglaterra, a Burberry é uma das marcas mais tradicionais do segmento de luxo mundial. Algumas de suas peças clássicas, como o famoso trench coat, são sinônimos absolutos de elegância e bom gosto.

Ao mesmo tempo em que a grife inglesa é um símbolo de atemporalidade, ela é também considerada uma das marcas mais inovadoras da atualidade. Com uma destacada atuação nas mídias sociais e ações de marketing que estabelecem verdadeiras conexões com seus clientes e consumidores, a Burberry alia de maneira precisa as ideias de inovação e tradição.

Um bom exemplo da harmonização desses conceitos na marca inglesa aconteceu no ano passado, com a reformulação do logo. Pouco tempo depois de Riccardo Tisci assumir a direção criativa da grife britânica a logomarca da Burberry sofreu uma alteração, na qual ficou destaca as inicias TB em homenagem ao seu fundador Thomas Burberry.

Muitas outras marcas que são referência no mercado de alto padrão também conseguem associar de forma assertiva as questões ligadas à tradição e as novidades que abordam a inovação. A BMW, no segmento automotivo, e a Vacheron Constantin, são dois excelentes exemplos de empresas que ao longo das décadas vem se reinventado e, ao mesmo tempo, mantendo-se fieis a sua essência.

Para atestar ainda mais essa relação, a Burberry lançará no amanhã, 22 de maio, uma nova coleção em que o grande destaca é justamente o monograma da marca. Sem jamais esquecer o seu legado e apostando de forma contundente em novas abordagens, a grife inglesa vem conquistando fãs unindo passado, presente e futuro.

Crédito da imagem: Burberry Monogram/Divulgação.