Cinco Dicas de Autocuidado com a Pele e Cabelos na Quarentena

O autocuidado ganhou espaço nesse período de quarentena e alguns hábitos caseiros e mais intimistas voltaram a ter valor em um momento de reclusão social. Conversamos com a Heloisa Olivan, cosmetóloga do Instituto Olivan, para ajudar vocês com algumas dicas para pele e cabelo. Confira abaixo:

→ PELE

1. Lave o rosto com sabonete facial específico para o seu tipo de pele, dando preferência aos produtos que contenham prebiótico, duas vezes ao dia. Ter uma boa higiene facial é fundamental para eliminar as impurezas e a oleosidade. Use sabonetes próprios para o rosto e fique atenta à temperatura da água, que não pode ser quente demais. Os prebióticos de uso tópico são ótimos aliados para manter a pele em equilíbrio e funcionando como barreira de proteção contra microrganismos, poluentes e outras partículas do meio externo.

2. Tonifique com loção específica para o seu tipo de pele com ingredientes que façam efeito blindagem e escudo antipoluição
Muitas pessoas se esquecem desse passo de autocuidado, mas ele pode ser a peça chave para que sua pele se mantenha equilibrada e saudável. Mesmo estando dentro de casa, a pele é exposta constantemente a agentes agressores, como a radiação solar e a poluição, podendo levar a alterações como manchas, linhas de expressão, rugas, falta de viço, flacidez e inflamações. Um dos poluentes mais agressivos à pele é o PM 2.5 (material particulado fino). Esse micropoluente é proveniente de diversas fontes, incluindo os combustíveis, fumaças, queimadas e até as frituras feitas em casa. No intuito de minimizar esses efeitos indesejados na pele, existem ativos dermatológicos que formam um filme de proteção, funcionando como uma verdadeira blindagem. São imperceptíveis, mas estão lá para proteger a pele contra os três principais tipos de poluição: a poluição eletromagnética (causada pelo excesso de ondas emitidas por antenas, celulares e equipamentos eletrônicos), a atmosférica e a poluição doméstica , decorrente de partículas adquiridas em ambientes internos, liberadas pelo ar condicionado e sistemas de aquecimento, além de agressores contidos em produtos químicos de limpeza, que danificam a barreira natural da pele. Além de equilibrar o pH da pele, controlar a oleosidade e reduzir diâmetro de poros, os tônicos podem conter esses ingredientes e salvar a pele dos vilões diários.

3. Esfolie com produtos dermoabrasivos suaves (duas vezes por semana). O esfoliante realiza uma limpeza profunda através de partículas minúsculas que fazem uma leve abrasão na camada superficial da pele e, além de retirar a sujeira, a oleosidade e as células mortas acumuladas, estimula a renovação celular. Ele deve ser aplicado com movimentos circulares suaves sobre a pele molhada e previamente lavada. Deixe na pele por dois ou três minutos, para que os princípios ativos possam agir, e, em seguida, enxágue.

4. Dê uma pausa na make. O grande benefício de não usar maquiagem com frequência é permitir que a pele respire sem a intervenção de nenhum produto que obstrua seus poros e assim fique mais equilibrada e com menos oleosidade. Tudo bem se você precisar de um corretivo, uma máscara de cílios e um gloss para se sentir mais animada. Cada um sabe da sua necessidade. Talvez só não seja necessário fazer maquiagens mais elaboradas, cheias de camadas, contornos e sombras.

5. Use protetor solar mesmo dentro de casa. Durante todo tempo em que ficar em casa, continue usando filtro solar . É necessário se proteger dos raios UV, que podem penetrar pelas janelas e vidros, além da luz azul de dispositivos como celular, computador ou tablet. As luzes visíveis podem acelerar o processo de envelhecimento, além de piorar casos de melasma e manchas de pele.

→ CABELO

1. Seja rigorosa com a higiene dos cabelos. Não fique muitos dias sem lavar o cabelo, tanto pela possibilidade do fio de cabelo ser um depósito de Coronavírus e outros microrganismos, quanto pelos malefícios que o acúmulo de oleosidade no couro cabeludo pode causar. Couro cabeludo mal higienizado pode ser um forte candidato a sofrer inflamações, descamações e até mesmo queda capilar.

2. Esfolie e hidrate o couro cabeludo conforme a necessidade e com produtos específicos para a região
A esfoliação possibilita fios mais sadios e radiantes por promover uma limpeza profunda do couro cabeludo, removendo resíduos acumulados, sebo produzido em excesso e escamas em pacientes com caspa, além de melhorar a circulação local e estimular o crescimento dos fios. Já a hidratação do couro cabeludo controla a descamação da região, através da modulação do ressecamento. Existem produtos específicos que podem hidratar o couro cabeludo sem deixá-lo oleoso e nem obstruir os poros.

3. Monte um cronograma capilar alternando máscaras de hidratação e nutrição dos fios
O cronograma capilar deve incluir tratamentos que englobam um ciclo completo de reposição das necessidades dos cabelos. Esses tratamentos são divididos em 3 fases: Reconstrução, a Nutrição e a Hidratação. A reconstrução consiste na reposição de proteínas, a nutrição é uma reposição lipídica, ou seja, da oleosidade dos fios e a hidratação visa repor a água perdida. O cronograma capilar funciona como uma agenda de cuidados para fornecer aos fios os elementos que eles precisam para se manterem fortes, saudáveis, com brilho e maciez.

4. Faça uma pausa nas químicas, secador, chapinha e babyliss. As altas temperaturas podem causar danos à estrutura interna dos fios, o córtex. Quando o secador ou chapinha atingem temperaturas acima de 236°C, o cabelo sofre perda estrutural das proteínas, em um processo chamado ‘desnaturação’. Acima de 250°C, os danos são irreversíveis. O calor desnatura a queratina helicoidal, que é a proteína que confere resistência e elasticidade aos cabelos. Procedimentos químicos como escovas progressivas, alisamentos e colorações afetam a saúde do couro cabeludo e ainda podem ter efeito sistêmico, já que o couro cabeludo é uma estrutura extremamente vascularizada e pode ser uma porta de entrada para que substâncias tóxicas caiam na corrente sanguínea, gerando reações alérgicas. Essas químicas podem interagir com o couro cabeludo e causar um desequilíbrio na flora bacteriana capilar, chamada de microbiota, gerando distúrbios como: queda de cabelo (alopecia), redução do crescimento dos fios, caspa, dermatite seborreica, prurido (coceira), irritação, descamação e inflamação.

5. A saúde dos cabelos começa pela boca: alimente-se! Alimentos ricos em proteína, como peixe, ovo, carne, leite e derivados são ótimas opções. Biotina, zinco, ferro e ômega 3 também são essenciais para manter as madeixas lindas e saudáveis!