BLUEMOON : poesias design-espaço-tempo, por daniela BUSARELLO.

Sou do tempo que o tempo é medido pela passagem das fases da Lua.
Gosto de observá-la. Gosto de me surpreender com ela… em tantos lugares do mundo… perto… longe… daqui…de lá… memórias de lindas luas iluminando a noite na medida certa.
Perceber que a terra gira, que a semana passa, que a maré interna de cada um muda: altos, baixos… equilíbrio.

Sentir seu magnetismo, coisa arquetípica, feminina, de alquimias e magias brancas. Sentir a conexão com o universo. E encontrar o tal momento raro… com a Blue Moon.

Final de ano, tempo de observar a experiência destes tais 365 dias que passaram voando… para aprimorar como bem viver os próximos 365.
Quantas Blue Moon aconteceram em 2014? Quantas acontecerão em 2015?
Tempo de escolher quanto tempo dar a cada tempo.
Tempo este que é um dos mais preciosos luxos contemporâneos.

TL6_1stromboli

#marco polo de saias: Stromboli, Sicília, Itália. Uma das Ilhas eólicas, de paisagem vulcânica.
Uma ilha por si só já é um lugar atípico: terra, costumes, energia. Descobri Stromboli com amigos tão únicos quanto o próprio lugar. Me apresentaram uma paisagem lunática, banhos de mar em areias negras, formações rochosas esculpidas pelo vento, ruelas estreitas, casas inteiramente brancas e céu azul. Stromboli é um vulcão em atividade, com fumaça, lava e calor lembrando o tempo todo que este é um “outro planeta”, abundante de estrelas cadentes. Aprendi a me alimentar de uva direto do pé, a comer sem as mãos, olhando o mar sem fim. Uvas temperadas de perfumes de ervas e sais, da terra, do mar. Tempo de flanar e alimentar o espírito.

Ben Ryé é um néctar dos deuses, ou uma grapa siciliana da casa Dona Fugata, a ser degustada no restaurante do Stefano. Tempo de alimentar o corpo.
Ristorante il Canneto: 64, via roma 98055 Stromboli (ME) tel +39 (0) 90 986014

Dolce e Gabbana, Naomi Campbell são assíduos. Tempo de alimentar a mondaineté.

Anselm Kiefer, artista contemporâneo, visitante ocasional. Tempo de inspiração.

Roberto Rossellini filmou Ingrid Bergman em 1949, um encontro de almas que os levou a abandonar suas antigas vidas e viver um novo amor. Tempo de “amor eterno”. 3 minutos do filme:

https://www.youtube.com/watch?v=1xOQG23S5vE

TL6_2sanmichele1 TL6_2sanmichele2 TL6_2sanmichele3

#savoir vivre: Cemitério San Michele, Veneza,Itália. David Chipperfield (Lojas do Valentino pelo mundo à fora). 2007-2013.
Uma ilha inusitada a ser visitada sem pudores, uma ilha-cemitério, entre Veneza e Murano.
Para aqueles que admiram arquitetura histórica lá visita-se uma igreja e convento do século XV. Para os apaixonados por arquitetura contemporânea, David Chipperfield propõe um espaço intercalado de volumes arquitetônicos minimalistas, de identidade sacra e monumental que exaltam a espiritualidade. São volumes fechados e abertos construídos em harmonia com a paisagem, abrindo o olhar para o mar, ou fechando para jardins… espelhos d’água, caminhos largos ou passarelas estreitas, espaços que exaltam luz ou sombra, do céu, do sol, do sal. Tempo de introversão.

http://europaconcorsi.com/projects/18411-David-Chipperfield-Architects-San-Michele-Cemetery

TL6_3frank-gehry

#sacro: FUNDAÇÃO LOUIS VUITTON, Paris. Frank Gehry, 2006-2014.

Frank Gehry se tornou conhecido além dos fronteiras dos arquitetos quando criou o Guggenheim Bilbao e fez esta “pequena cidade catalã” se transformar em um grande centro cultural e turístico mundial. Em Paris, ele concebeu o projeto da Fundação LV como um “Grand Palais” contemporâneo, ou seja, uma gigantesca estrutura de vidro dentro de um bosque: onde se harmonizam conceitos atemporais e técnicas construtivas radicalmente contemporâneas. A Fundação é uma iniciativa cultural privada que tem por ambição promover e sustentar a criação artística contemporânea junto à um grande público tanto francês como internacional. Tempo de generosidade.

Tive o privilégio de acompanhar os “finalmentes” da obra, já que de janeiro à maio de 2014 trabalhei para o Jardin d’Acclimatation, onde a Fundação se encontra.

www.fondationlouisvuitton.fr/content/flvinternet/fr/vol-au-dessus-d-une-creation.html

www.fondationlouisvuitton.fr/l-edifice.html

exposição/ retrospectiva Frank Gehry: Centre Pompidou : www.centrepompidou.fr/cpv/resource/cTgGo4/r4rGEGo

TL6_4ledauphin2

#profano: Restaurante Le Dauphin, Paris. Rem Koolhas (Prada NY) e Clément Blanchet arquitetos. Chef basco Inaki Aizpitarte. 2010

Um antigo bistrot de bairro transformado em peça rara Blue Moon da arquitetura de interiores: espaço revestido com um imaculado mármore branco: piso, paredes e teto. E espelhos que refletem o dia, a noite, o vai e vem dos gourmands. O que poderia ser um espaço estéril na verdade é etéreo, um microcosmos de especiarias, onde o tilintar de taças de vinhos orgânicos, de sabores exuberantes e inesperados salpicam as conversas desta grande comemoração à vida. Tempo de festa nesteTaj Mahal de pequenos .

Le Dauphin. 131 avenue parmentier, 75011, Paris. Tel +33 1 55 28 78 88.

http://ribaut.blog.lemonde.fr/2011/02/11/le-dauphin-du-trio-koolhaas-aizpitarte-peneau/

TL6_5lacrime_del_pescatore1

#memória: Lacrima del Pescatore, Ingo Maurer, designer da luz. 2009.

De dia apenas a luz do sol já faz reflexos mágicos entre os 365 cristais e o filé de nylon, como uma rede de pesca. À noite o efeito teatral se potencializa em poesia e luz das mini lâmpadas halógenas…

É tempo de ensinar a pescar .

https://www.youtube.com/watch?v=uRVpajg6FNg

TL6_6moseBLU1

#savoir faire: vaso MOSE, feito em vidro soprado em Murano, Veneza, Itália, por Daniela Busarello. 2010.

Uma imagem capturada do movimento da laguna de Venezia. A água azul que se concentra no olhar.
Esta foto se transforma em uma “onda em movimento tridimensional”, esculpida nas cores da laguna do céu e do sol, com efeitos de fluidez e transparência, reflexos de luz… referências à essência mágica deste lugar. Cada vaso é único, assinado e numerado, feito à mão, em Murano, Itália. Olhares atentos: o mestre do vidro, seus dois assistentes e a designer, daniela busarello. É esta dedicação e o saber-fazer de todos que faz dele um casamento do design contemporâneo com a tradição do artesanato, do feminino com o masculino, do fogo com a água. Tempo do impossível se tornar possível.

http://www.precious7.com/issue-004-daniela-busarello/

TL6_8Hokusai

#luxo: meu maior luxo Blue Moon foi ter escalado o Monte Fuji no Japão. Lá do alto de seus 3776 metros de altitude ver o pôr-do-sol e algumas horas depois, o nascer do sol…
Tão grande emoção pode ser metaforicamente vivida ao visitar o Grand Palais em Paris, onde acontece a exposição da obra de Hokusai (1760-1849), especialmente as trinta e seis vistas do Monte Fuji.
Tempo de dedicação, persistência, trabalho e meditação.

https://www.youtube.com/watch?v=9TZKpA0m5f0

#lux: Barbarella, o filme. Roger Vadim, 1968.

Uma viagem sexy-cósmica… uma passagem especial dentro da máquina do excesso-orgásmico até chegar ao seu curto-circuito quando encontra a super-astronauta-Jane Fonda e sua onda gigante de prazer… Curiosidade, boas-surpresas, Blue Moons, todo o amor e energia para cada um de nós !… É tempo de Super Happy New 2015 !!!

TL6. BLUEMOON : poesias design-espaço-tempo, por daniela BUSARELLO.

www.danielabusarello.com