Beleza e bons negócios

Em um de seus textos mais conhecidos, o poeta e compositor Vinicius de Moraes afirma que a “beleza é fundamental”. Ao que tudo indica, os brasileiros concordam com o poetinha, já que o mercado de produtos de beleza continua crescendo, mesmo com a instabilidade econômica que insiste em permanecer no país.

O setor que atualmente ocupa a quarta posição no ranking mundial, atrás de potências como os Estados Unidos, a China e o Japão, registrou no ano passado um faturamento superior a 100 milhões de reais, de acordo com a revista Exame. E a previsão para 2018 é otimista, já que de acordo com as expectativas o crescimento para 2018 deve superar 3,5%. Somente no primeiro bimestre deste ano, o crescimento superou 16%.

Cuidados com os cabelos, beleza das unhas e estética masculina são algumas das áreas que devem se consolidar como tendências, conforme um estudo de mercado desenvolvido pelo Sebrae.

O segmento de beleza, que cresceu ano passado, deve fechar 2018 com um aumento de 3,5% no faturamento

“As pessoas querem se sentir bem consigo mesmas e os produtos de beleza demandam pouco investimento e grande impacto na autoestima”, destacou Flavia Bittencourt, CEO da Sephora no Brasil, a respeito de uma das razões que explicam o bom momento do setor.

Para as marcas que atuam no segmento, investimentos em tecnologia e sustentabilidade têm se mostrado extremamente positivos na conquista dos clientes. Marcas como a Natura, por exemplo, que investem de forma contundente em produtos renováveis, vem apresentando ano após ano excelentes resultados.