A exclusividade como um conceito chave do mercado de alto padrão

Na última semana o mundo da moda perdeu uma de suas figuras mais ilustres: o estilista alemão Karl Lagerfeld. Em uma entrevista para a televisão, que publicamos um trecho aqui no Terapia do Luxo, Lagerfeld falava que o luxo era algo que precisava conversar com os desejos e anseios de cada um e ter alta qualidade. Não se restringia apenas a questão financeira, ou seja, um produto de alto padrão tendia a custar caro porque a excelência sempre foi uma de suas características principais.

Em janeiro, uma notícia publicada em diversos veículos de comunicação chamou a atenção no mercado de alto padrão. A Macallan, destilaria escocesa que é referência no segmento de bebidas, lançou 250 unidades de um malte único envelhecido 52 anos em barris de carvalho espanhol ao custo unitário de 53,5 mil dólares a garrafa.

O valor despertou até mesmo quem é acostumado a consumir produtos da mais alta qualidade, já que com a mesma quantia é possível, por exemplo, comprar um automóvel novo com os principais recursos tecnológicos que existem. A produção é tão exclusiva e o valor tão expressivo que para todos os Estados Unidos foram encaminhadas 42 garrafas e para o Reino Unido somente 14.

O quê o lançamento deste whisky único lançado pela Macallan pode dizer sobre o mercado de luxo contemporâneo? Em primeiro lugar, fica claro que o interesse pela exclusividade ainda é um dos desejos que movimentam o setor de luxo. A ideia de viver experiências diferenciadas e exclusivas é compartilhada por um número cada vez maior de pessoas que, literalmente, não poupam esforços para vivencia-las.

Outro dado importante que pode ser observado é que o preço dos produtos de luxo, normalmente, é apenas um dos itens levados em consideração no momento da compra, e não o principal. Pesquisas realizadas em todo o mundo, inclusive no Brasil, apontam que os consumidores de luxo analisam diversos aspectos antes da compra e o preço tende a ser o último deles.

Por fim, mas não menos importante, o whisky exclusivo da Macallan comprova que o mercado de luxo tende a ser muito receptivo com novos produtos, desde que a qualidade tenha prioridade sobre o preço. Como Karl Lagerfeld afirmou, o luxo “não é sobre coisas caras, mas que tenham seu preço justificável”.

Crédito da imagem: Reprodução.

Leave a Reply

Your email address will not be published.