A sustentabilidade se consolida como estratégia no mercado de alto padrão

No último dia 30 de abril, em artigo publicado aqui no Terapia do Luxo, Manu Berger destacou a recente publicação do relatório LVMH – 2018 Annual Report que reunia as principais realizações deste que é considerado o principal conglomerado de luxo do mundo em áreas distintas que iam da gestão dos recursos humanos, passavam pelas ações visando a melhoria do meio ambiente e chegavam os resultados financeiros da instituições.

Um capítulo do relatório particularmente interessante é que aborda a questão da gestão ambiental. Uma das principais realizações do grupo nessa área foi desenvolvida em 2012 com o nome LIFE – VMH Initiatives for the Environment cujo objetivo principal era propror uma visão compartilhada da questão ambiental e desenvolver ações em diversas frentes em busca da diminuição do impacto das ações ao meio ambiente.

Para reforçar seu compromisso com a sustentabilidade, o grupo divulgou nesta semana o apoio ao projeto O Homem e a Biosfera da UNESCO desenvolvido de forma intergovernamental e que tem como objetivos principais diminuir a perda da biodiversidade em todo o planeta.

O anúncio do grupo LVMH de investir na questão sustentável comprova que o tema definitivamente foi incorporado à gestão estratégica das principais organizações do mercado de luxo. Vale lembrar que também há poucos dias a Kering, outro importante conglomerado de marcas de alto padrão, anunciou novas determinações quanto a questão do bem estar animal.

Em função da necessidade de atender aos novos desejos dos consumidores e, principalmente, buscando um diálogo ainda mais assertivo com as novas gerações, para quem a sustentabilidade se tornou um conceito fundamental, as marcas de luxo investem de forma cada vez mais concreta em busca de um futuro melhor.

Crédito da imagem: Belmond Group-LVMH/Divulgação.