A importância do bom relacionamento entre paciente e médico na cirurgia plástica

O Brasil ocupa a segunda posição no mundo quando o assunto é a realização de cirurgias plásticas. E se as novidades do setor tendem a encantar cada vez mais os pacientes no país, é fundamental também que a relação entre o paciente e o médico seja excelente e, se possível, deve começar bem antes do procedimento propriamente dito.

De acordo com a Dra. Monica Okamoto “a conversa com o cirurgião deve vir antes da tomada de decisão, pois ele é quem vai de fato examinar o paciente e explicar a melhor forma de resolver ou amenizar o seu problema, e se ele está apto a realização do procedimento. Às vezes o que se quer não é exatamente o melhor a ser feito”.

Nas conversas que antecedem a cirurgia, o paciente dever se informar da melhor forma possível e fazer questionamentos como os eventuais riscos do procedimento, o tempo de recuperação, como ficarão as cicatrizes e outros detalhes conforme a cirurgia que se pretende realizar.

“A conversa com o cirurgião deve vir antes da tomada de decisão, pois ele é quem vai de fato examinar o paciente e explicar a melhor forma de resolver ou amenizar o seu problema” afirma a Dra. Monica Okamoto

Assim, cabe ao cirurgião plástico o papel de alinhar as expectativas dos pacientes e adequa-las a ralidade. “Isso é algo muito importante, pois existem pacientes que esperam algo que não é viável fazer, como mostrar uma foto no Instagram e dizer que espera aquele abdome sarado só com a cirurgia. E na realidade não é assim. A retirada de pele e gordurinhas fazem parte, mas a dieta e os exercícios para otimização do resultado são fundamentais. Sempre digo que há uma linha tênue entre o sensato e o exagero, e nós, médicos, temos a obrigação de não ultrapassar esse limite, pois se o fizermos, além de problemas estéticos, podemos expor o paciente a riscos e complicações evitáveis” ressalta a Dra. Monica..

E se durante a primeira consulta todas as questões não forem abordadas, é recomendado que o paciente visite seu médico até que todas as dúvidas sejam esclarecidas. “Normalmente as pessoas não esclarecem 100% das dúvidas em um único encontro com seu cirurgião, mesmo porque outras sempre surgem ao longo do processo. Em geral são necessárias de duas a três consultas antes de a cirurgia ser realizada. Neste interim, médico e paciente vão estabelecendo uma relação de confiança  mútua, o que é fundamental” finaliza a Dra. Monica.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.