A importância de se causar uma primeira boa impressão no mundo dos negócios

Uma ideia bastante conhecida, que pode ser adaptada tanto para a vida pessoal quando para o ambiente dos negócios, é que causar uma primeira boa impressão é fundamental. Muitas vezes, os conceitos criados no primeiro contato com alguém ou com algum produto tendem a orientar o julgamento de forma definitiva.

Mas, será que isso é verdade? Com certeza, é o que apontou um estudo realizado nos Estados Unidos sobre o assunto. De acordo com uma matéria publicada no jornal Correio Braziliense sobre a pesquisa em questão “basta uma fração de segundo – e não é modo de dizer – para se formar a primeira impressão sobre algo ou alguém. Em um espaço de tempo mais curto que uma piscadela, o cérebro humano constrói imagens difíceis de serem desmontadas posteriormente. Pesquisas apresentadas no congresso anual da Sociedade de Psicologia Social e Personalidade dos Estados Unidos indicam que o poder das ideias moldadas no momento em que se bate o olho é tão forte que nem mesmo os fatos são capazes de desmenti-las facilmente”.

Com a comprovação científica fica ainda mais concreta a ideia de que é não existe uma segunda chance para se causar uma primeira boa impressão. Para o mundo dos negócios, essa certeza é fundamental e pode ter impacto direto no sucesso ou no fracasso de um negócio ou de uma empresa.

Vamos pensar, por exemplo, na abertura de um novo restaurante. O empreendedor responsável pelo projeto contrata um chef premiado, elabora receitas inovadoras e concebe um ambiente agradável e acolhedor. Quando os clientes entram no restaurante, porém, a equipe se mostra mal treinada. Certamente essa percepção inicial terá um impacto decisivo na avalição do lugar e comprometerá novas visitas no futuro.

Essa lógica também se aplica às empresas que atuam no mercado de luxo. Ao inaugurar uma nova loja, criar um novo produto ou pensar em um novo serviço destinado a esse segmento, é fundamental levar em conta todas as particularidades e encontrar maneiras de que a primeira impressão dos clientes seja positiva.

O psicólogo Nicholas Rule, pesquisador da Universidade de Toronto, analisando os resultados da pesquisa destacou que “quanto menos tempo temos para emitir um julgamento baseado no que vemos, mais propensos seremos a confiar no que dizem nossos instintos”. Dessa forma é fundamental que todos os detalhes sejam analisados para que a experiência da primeira impressão seja a mais assertiva possível.